Jornalista denuncia censura política e se demite ao vivo

O jornalista Paulo Beringh, da TV Brasil, insatisfeito com o posicionamento do veículo que trabalhava, decidiu “abrir o bico” ao vivo em seu programa sobre o que estava realmente acontecendo, o que obviamente (e infelizmente) ocasionou sua demissão. Confira o vídeo.

@Sedentário&Hiperativo

Vídeo: Vote em Ninguém!

Muito bacana esse vídeo de uma apresentação em um evento de stand-up comedy  do personagem Abelardo Ninguém, criado pelo Jacaré Banguela e amigos. O personagem caricata de um candidato critica a política e a atitude de alguns políticos brasileiros de forma bem humorada e fala algumas verdades, vale a pena assistir.

O Brasil é um país ambidestro: a direita rouba, a esquerda rouba e o povo toma no centro.”

Fomos elogiar…Estadão se contradiz e censura jornalista

EstadaoDepois de ter elogiado a postura do jornal Estadão ao deixar bem claro ao seus leitores ao apoiar a candidatura de José Serra, ocorre um fato inesperado. Devido a um artigo escrito pela jornalista Maria Rita Kehl, intitulado de “Dois pesos” (veja trechos) em que ela expressava sua opinião política a respeito de determinado assunto, o jornal decidiu demitir a jornalista.

Segundo o Estadão a medida foi tomada devido a repercussão que o artigo teve, que não agradou nem um pouco a empresa. De certa forma isso reforça o que falamos sobre a influência de fatores externos afetarem a tão defendida imparcialidade na veiculação das notícias no post sobre o Estadão.

Sem entrarmos no mérito de avaliar o conteúdo da matéria escrita, seja ele positivo ou não, quando achamos que as coisas estariam melhorando e que o Estadão tinha “dado um passo a frente” para ampliar uma visão crítica de seus leitores, ele simplesmente retrocede e se joga no abismo. A imparcialidade na verdade não existe, essa atitude além de censura, é a máxima do que falei anteriormente.

O único pesar, sou eu, como autor do Crítica Privada, ter que voltar atrás por ter elogiado um meio de comunicação devido a uma atitude com um posicionamento tão contraditório sobre um mesmo assunto: expressão das opiniões nas matérias jornalísticas. Será mesmo que uma matéria é pior que toda essa “fúria” despertada por boa parte da internet a respeito da censura feita pelo jornal? Olha, eu sou um leigo, mas acho que o departamento de relações públicas deve estar trabalhando bastante agora.

@Terra

Será absurdo? Jornal Estadão assume apoiar José Serra

OpiniãoNão caro leitor, esse post não se trata de propaganda política gratuita ou muito menos tem a pretensão de dizer em quem você deve votar, a questão que levantaremos aqui é sobre a postura do jornal Estadão ao assumir publicamente seu apoio político a determinado candidato a presidência, no caso, José Serra.

O jornal Estadão soltou uma nota editorial assumindo explicitamente que apoiava o candidato e inclusive, dando motivos do porque desse apoio, posicionamento que já podia ser notado na cobertura jornalística tendenciosa que o jornal havia fazendo nas eleições 2010, segundo alguns jornais relataram. (confira o link para a nota no final do post)

Aparentemente essa nota foi soltada como uma forma de confirmar a cobertura que estava sendo feita e talvez tenha sido uma forma do jornal de ser transparente com seu leitor, você achou isso um absurdo? Mas eu não, continue lendo.

Continue lendo

Tiririca sabe ler?

A revista Época decidiu realizar uma cobertura da rotina eleitoral do candidato a deputado federal Tiririca, tudo muito bacana, até que ao entrevistar o candidato e pedir para ele ler e escrever sua resposta em um formulário. Sua assessoria interveio na reportagem querendo impedir o candidato de responder a pergunta, até que seu filho começa a ler a pergunta para ele, dando a entender que o candidato não sabe ler e escrever e sua assessoria quis evitar que esse fato fosse descoberto.

Eu achei uma postura bem desagradável (apesar de inteligente e necessária) da revista Época ao ter esse tipo de atitude com um entrevistado, ficou bem claro que foram lá para puxar o tapete do cara. Entretanto, essa atitude revelou o grande absurdo por trás da campanha do candidato, segundo a lei, analfabetos não podem se candidatar, o que impediria a campanha de Tiririca. Enquanto a justiça não resolve e os fatos não são esclarecidos, continuamos com o nosso carnaval fora de época que acontece de 4 em 4 anos, com esses candidatos que parecem competir para chamar atenção um com os outros de uma forma escrachada em vez se preocupar com as questões políticas de fato (e eu não falo só do Tiririca).

Confira o vídeo:

Quanto ganha cada candidato?

EleiçõesEm época de eleições há uma enxurrada de informações tão grande nas mídias que muitas vezes algumas passam batido por nós eleitores.

Uma coisa que é pouco divulgada pela mídia de massa é o custo de cada candidato aos cofres públicos. Todas essas bonificações absurdas como o “salário terno” que o povo acaba pagando com seu suado dinheiro convertido em impostos (muito altos, diga-se de passagem).

Continue lendo

Deputados gastam dinheiro público com iPads

iPadVocê deve ter lido o título e pensado: mais uma desses políticos brasileiros! Mas você está enganado leitor. Essa cena pitoresca aconteceu no México.

O governo mexicano, após uma reunião em um luxuoso hotel, decidiu gastar 1,5 milhão de pesos (algo como 230 mil lulas) e adquirir os iPhones com esteróides para cada um de seus 230 deputados. Segundo eles, o equipamento era indispensável para o trabalho dos legisladores mexicanos.

Continue lendo